PETS NA QUARENTENA

O segmento da economia voltado para o mundo pet é dos que mais cresce na economia brasileira e projeta crescimento em 2020. Segundo o Instituto Pet Brasil, criado para estimular o desenvolvimento do setor de produtos e serviços para animais de estimação, o maior crescimento está na venda por comércio eletrônico, que registrou alta de 65% no faturamento, resultado direto do isolamento social devido ao coronavírus. Em segundo lugar, aparecem os produtos veterinários, seguidos pelos itens de alimentação, que tiveram um crescimento de 10% e representam quase metade das vendas do setor.

A economia reflete também os aspectos psicológicos da pandemia. Mais do que nunca, os animais de estimação têm sido considerados como antídoto contra solidão e remédio para a monotonia e falta de afeto. As associações de proteção de animais, como a ONG Ampara Animal, registram aumento de cerca de 50% de procura por adoção. Entretanto, não se pode esquecer que os bichos exigem cuidados e atenção diariamente, independente do momento pandêmico.

A veterinária Marisa Pazos, que participará da Live in JB #17, percebeu uma maior procura em seu consultório, atualmente na Clínica Jardim Botânico. Marisa lembra que não há indícios de que animais de estimação transmitam a COVID-19 a seres humanos, mas que é importante seguir as recomendações de distanciamento durante os passeios:

– A orientação é fazer passeios curtos, em horários e locais de menor movimento. Na volta para casa, as patinhas devem ser limpas com água e sabão neutro. O álcool 70 e outros desinfetantes devem ser evitados, pois causam alergias e queimaduras – aconselha a veterinária.

Aberta há um mês, a pet shop Sanidad Animal vem chamando a atenção de quem passa pela rua Lopes Quintas. Além dos habituais produtos e serviços de uma loja do gênero, os sócios Luiz Carlos e Marina Coutinho – pai veterinário e filha engenheira florestal – inovaram com a venda de máscaras com fotos de pets, que ganhou espaço até na coluna de Ancelmo Góis, no jornal O Globo

– Conhecemos os donos de animais e sabíamos que eles iam adorar sair por aí com seus amores estampados nas máscaras obrigatórias atualmente. Colocamos alguns modelos na vitrine, com fotos de cachorros de diferentes raças, e percebemos que o produto chama a atenção tanto das crianças como dos adultos – observa Marina.

Apesar de não morarem no bairro, pai e filha escolheram abrir o negócio no JB por se identificarem com a natureza e a pegada sustentável daqui. Para eles, a preocupação com alimentação e cuidados especiais também com os animais garante o interesse por uma linha de ração natural e álcool em gel feito de cereais, mais adequado para os bichos, conforme indica o veterinário com mais de 30 anos de experiência.

Outro exemplo da força do mercado pet é a procura por adestramento de cachorros. Fábio Hidd, que desde 2003 trabalha com isso, observou uma diminuição de procura por seus serviços somente no início da pandemia. De dois meses para cá, o movimento praticamente normalizou para ele. Pelas suas contas, Fábio já adestrou de mais de 1.000 cachorros, atendendo de quatro a cinco por dia, de todas as raças. Ele mora em Jacarepaguá, mas desloca-se por toda a cidade e, atualmente, tem como cliente uma vira-lata da veterinária Juliana Darene, residente no JB.

– O primeiro cachorro que ganhei dinheiro para treinar foi o Gastão, um pug que morava na rua Marquês de São Vicente. Já adestrei cachorros de todas as raças, sendo que considero os pitbulls os mais fáceis de ensinar, talvez porque tenha começado a fazer isso com dois deles, que ganhei de presente em 2001 – explica Fábio, segundo convidado da Live in JB #17.

O compromisso diário leva muita gente a abandonar os animais. Segundo o IBGE, a quantidade de cães e gatos abandonados aumentou 40% durante a quarentena em todo o estado do Rio de Janeiro. A atriz Betty Gofman e a coreógrafa Patrícia Sauer são defensoras ferrenhas e incansáveis dos animais, servindo de exemplo para outros moradores do bairro se envolverem com a causa. Rosane Lessa passou a se preocupar com gatinhos de rua durante a pandemia. Logo no começo, ela pegou a Nana, uma gatinha cega que acabou se instalando de vez no apartamento da rua Professor Saldanha. Em agosto, Rosane acolheu uma gata que havia acabado de parir sete filhotes. Com o apoio da Associação Casa do Cão e Gato, de Niterói, deu os primeiros cuidados, castrou os bichanos e encontrou um lar para todos, garantindo um final feliz para todos.

Sanidad Animal Pet Shop: 3557-9200 / 99303-6113
Adestrador Fábio Hidd: 98165-8486
Veterinária Viva: 2225-6935
Clínica Intergávea: 2294-1681 / 2511-4391 (JB)
Centro Veterinário da Lagoa: 2135-8088 / 99986-8088
Dom Veterinário (24h): 2527-7990/98188-6699
Pet Ami: 99272-8728 (Fernando Vieira) / 99771-6055 (Marisa Pazos)
Reiki p/pets: 97212-8931
Thomas Becker: 98733-4804
Animaleria: 3281-5037
Bicho Bacana: 2115-5926
Fifi: 2579-0875
Jimmy’s Pet: 3496-8953 / 99922-0599 (veterinário de plantão)
Kitupet: 99477-9316
American Pet (Gávea): 2422-0102
Casa Brecke: 2274-5695 / 3874-0629 (Gávea)
Au Miau: 2511-5059
Associação Casa do Cão e Gato

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: