SAIBA MAIS SOBRE AS CANDIDATURAS COLETIVAS

Na reta final das eleições, a Live in JB #25 trouxe para a roda uma conversa sobre candidaturas coletivas para vereador do Rio de Janeiro, uma novidade deste ano. Os convidados foram Roberto Anderson, co-candidato da Liga (PSB), e Erian Ozório, da Comunidade Coletivas (Rede). Os dois apresentaram as propostas de seus coletivos, que passam por sustentabilidade, educação e cultura. Quem perdeu a Live in JB #25 pode assistir no canal do YouTube do JB em Folhas.

ENTENDA O QUE É CANDIDATURA COLETIVA

Uma novidade que chega ao Rio de Janeiro este ano são candidaturas coletivas para vereadores. Como o nome sugere, uma candidatura coletiva é composta por um grupo de pessoas – com um representante designado – que querem ocupar um cargo público. A experiência já foi adotada em Goiás (2016), São Paulo e Pernambuco (2018). O Coletivo Mulheres (Rede) e A Liga (PSB) são dois exemplos dessa iniciativa. A primeira reúne sete mulheres sem passado político, de diferentes áreas de atuação, com foco em Educação para a Sustentabilidade, Antirracismo, Agricultura Urbana, Inclusão das Periferias, Empoderamento Feminino e Desenvolvimento Regenerativo. Erian Ozório, ambientalista e ex-presidente do Instituto Onda Azul, encabeça o movimento. Já A Liga é composta por Pedro Gerolimich (nome que aparecerá na urna) e outros quatro ativistas sociais, envolvidos em causas complementares como Educação, Cultura, Direitos, Urbanismo e Sustentabilidade.

Para explicar melhor essa tendência, a Live in JB #25 esta semana receberá representantes desses dois coletivos, identificados com as causas ambientais. Defendendo uma maior participação feminina na política, Erian Ozório vai falar sobre agroecologia e educação para sustentabilidade: “Somos sete mulheres em busca de ocupar esse espaço tão importante para a nossa sociedade e fazer a diferença com pautas urgentes e necessárias para o desenvolvimento da nossa cidade.” Já Roberto Anderson, que concorreu como vice-prefeito de Alessandro Molon (PSB-2016), focará nas questões urbanísticas da cidade, algumas delas relacionadas ao Jardim Botânico, onde morou por 20 anos. Roberto explica que “A sociedade sempre está à frente da legislação. Mesmo que ainda não tenhamos uma lei que acolha esta proposta de mandato coletivo, acredito na força que temos quando nos unimos para melhorar nossa cidade”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: