O JB QUE OS MORADORES QUEREM

Pela segunda vez, a votação da Associação de Moradores do Jardim Botânico aconteceu de forma virtual. Rafaela Borges Carneiro e Maria Teresa Condé foram reeleitas, respectivamente, como presidente e vice-presidente, por mais um ano. A chapa única repetiu também nomes como os de Ana Julieta Carneiro, Monika Schultz, Maria da Glória Grève e Ana Cristina Vieira entre os 15 da atual diretoria. Segundo a AMAJB, dos 111 associados, 55 participaram da eleição, sendo que apenas um dos votos foi anulado.

Apesar da praticidade do sistema, um dos motivos para o pequeno número de votos foi sua falta de confidencialidade. Foi o que alegou Manuel Thedim, que, mesmo com sua anuidade em dia, não participou da votação: “Não acho que houve má fé, mas falta de conhecimento técnico”, pontua o economista, que deseja ver a participação ativa da AMAJB na elaboração do Plano Diretor do bairro.

Este é um bom começo para debater como é o JB que os moradores querem. O JB em Folhas perguntou a alguns deles quais deveriam ser as prioridades da associação. Confira abaixo as respostas:

“Acredito que a questão que mais nos aflige no momento é o aumento do número de assaltos. Ao longo da Pacheco Leão, temos tido notícias de mais roubos de celulares de pedestres. Talvez precise fazer uma pressão maior para termos carros de polícia mais presentes por aqui.

Nélia Vasconcellos, da Comissão de Moradores do Horto

Minha principal questão nesse momento é segurança. Temos visto relatos contínuos de assaltos e abordagens no bairro. Os assaltos na minha área, nas ruas Maria Angélica, Eurico Cruz e na própria JB, estão gerando apreensão.”

Ângela Tostes, jornalista.

“Com certeza, dois pontos muito importantes são a segurança e um reforço na fiscalização do trânsito, levando em conta os últimos assaltos a pessoas e à Panificação Lagoa, e as constantes bandalhas de motos e carros.”

Ricardo Ottati, advogado com atuação em TI desde 1975.

“Tem aspectos que são importantes e precisam ser cuidados: segurança, meio ambiente, fauna local, manutenção das praças, acessibilidade e ações pra garantir o cumprimento das regras contra a pandemia. Me chama a atenção o aumento de moradores de rua e pedintes no bairro. Acho fundamental a AMAJB melhorar seu canal de comunicação.”

Patrícia Valente, analista de sistemas

“O grande problema para mim é a rua Jardim Botânico. Está cada vez mais sem lei e sem limite, seja nas entradas e saídas das ruas, em manobras proibidas, seja na velocidade em frente ao Parque Lage e ao Jardim Botânico, quando não há trânsito. É preciso cuidar também dos bueiros entupidos, das calçadas quebradas e da fiação caída.”

Valéria Machado Colela, produtora cultural

“Três coisas que incomodam no Horto: o barulho de explosão de transformador de luz, praticamente uma vez por mês; a aglomeração de ciclistas sem máscara na loja IBS; e o local do alojamento do Impa.”

Bebel Prates, Assessora de Imprensa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: