CIÊNCIA E DIVERSÃO NO PLANETÁRIO DO RIO

Com quase 52 anos de atividades, o Planetário do Rio está mais jovem do que nunca. Por conta da pandemia, virou um espaço de vacinação contra Covid-19 e trouxe não só os moradores do entorno, mas de outros bairros para conhecerem sua programação.  E o que não falta é coisa para fazer dentro dele.  A experiência com o Universo já começa na porta de entrada, onde está exposto, na área externa: o meteorito Santa Luzia, considerado é o segundo maior do país – com quase duas toneladas -, e que escapou do incêndio do Museu Nacional, em 2018.

As sessões de cúpula de “O céu do Rio de Janeiro” costumam contar com a presença de um dos astrônomos da instituição para eventuais esclarecimentos. Para as crianças, há duas opções na programação: “Uma aventura no Planetário” e “Brincando entre estrelas”. No Museu do Universo, o número de experimentos interativos foi reduzido por medidas de segurança. Atualmente, há duas exposições: “Um Gigantesco Salto: a Jornada para a Lua”, em comemoração ao cinquentenário do pouso do primeiro homem na Lua, e “O Universo Deslumbrante”, em comemoração aos 50 anos do Observatório Europeu do Sul.

Além das sessões de cúpula e visitação do Museu do Universo, de terça a domingo, o Planetário promove as “Terças Gratuitas”, dia em que o público pode participar de todas a programação do Museu gratuitamente, desde que se inscrevam com antecedência no site. Por conta das férias, foi montada uma agenda especial até 30 de janeiro, voltada para o público infantil, com atividades gratuitas, que acontecem em um espaço aberto e são livres para todas as idades, sem necessidade de inscrição.

Mas nem tudo se resume ao espaço sideral. Desde novembro de 2021, o Planetário abriga a Biblioteca Ecio Salles, uma homenagem ao criador da Flup – Festa Literária das Periferias. O espaço, que funciona de de segunda à sexta, das 9h às 17h  é dividido um local para leitura e outro para debates, workshops e cursos. Tudo com entrada franca.

O Planetário e sua história

Criado em 1970 a partir de projeto dos arquitetos Renato e Ricardo Batalha Menescal, o Planetário do Rio é um dos mais importantes do Brasil, graças à sua cúpula, a maior de projeção espacial do país. O sucesso do lugar foi quase imediato: em pouco mais de um mês o filme “Pequeno passeio ao espaço sideral” contou com cerca de 10 mil visitantes. Conhecido inicialmente como Planetário da Gávea, o espaço realizou, em 1980, o primeiro curso de Identificação do céu, ministrado por astrônomos da instituição e que seguia acontecendo até o começo da pandemia.

Já na década de 1980, a cúpula Galileu Galilei – cuja capacidade caiu de 120 para 90 pessoas – abrigava apresentações de música clássica, choro e MPB, recebendo artistas como Dorival Caymmi, Ivan Lins, Alceu Valença e Moraes Moreira. A tradição de eventos culturais seguiu até o início de 2020, incluindo festivais de cinema e de animação. Atualmente, é possível alugar salas de reunião, auditório, anfiteatro e as próprias cúpulas.

Nos anos 1990, o Planetário recebia em torno de 100 mil visitantes por mês, motivando a ampliação do espaço. As obras do Museu do Universo começaram em 1995. Inaugurado três anos depois, o museu aborda o Sistema Solar, a Cosmologia, a pesquisa espacial, as condições astronômicas para o surgimento da vida no Universo, além de contar com a nova cúpula Carl Sagan, que tem 23 metros de diâmetro e 250 lugares. Uma das exposições de maior sucesso foi “Êxodos”, do fotógrafo Sebastião Salgado, que atraiu mais de 150 mil pessoas nos 30 anos da instituição.

O Planetário do Rio foi tombado como patrimônio cultural da cidade em dezembro de 2018. O decreto foi uma forma de proteger o espaço de ir a leilão para sanar dívidas trabalhistas da Companhia Estadual de Habitação (Cehab), proprietária do terreno em que o mesmo está localizado.

Antes da pandemia, o Planetário oferecia atividades interativas e projetos especiais, como a colônia de férias Brincando e Aprendendo Astronomia e Dormindo no Planetário, no qual crianças de 7 a 12 anos passavam uma noite no local, com direito a Observação do Céu por telescópios, visita guiada pelo Museu do Universo, teatro de sombra e uma Sessão de Cúpula, além de jantar e café da manhã.

Planetário do Rio
Rua Vice-governador Rubens Berardo, 100 – Gávea
Funcionamento: de terça a sexta, das 14h às 17h / sábados e domingos, das 10h às 17h.
Ingressos: R$ 30 (inteira) / R$ 15 (meia-entrada). Os valores incluem uma sessão de cúpula e visita ao Museu do Universo.
Agendamento das visitas aqui.
Mais informações no site e nas redes sociais : 2088-0536

A vacinação contra COVID-19 continua de segunda a sexta, das 8h às 17h.

*Por Betina Dowsley

2 comentários em “CIÊNCIA E DIVERSÃO NO PLANETÁRIO DO RIO

  1. Pingback: MIMOS E BRINCADEIRAS PARA CRIANÇAS – JB em Folhas

  2. Pingback: BIBLIOTECA DO PLANETÁRIO RECEBE FEIRA DE LIVROS – JB em Folhas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: