CURSOS PARA AMPLIAR OS HORIZONTES

“O ano só começa depois do carnaval”. Quem nunca ouviu essa frase? E uma maneira de aproveitar esse novo início de ano é escolher um curso para se matricular. As opções são variadas e atendem aos mais variados interesses: artes, idiomas, música, teatro e por aí vai.

Com a volta às aulas, é importante dar foco em algumas matérias para começar bem o ano letivo. Para quem não conhece, o Kumon é um método japonês de ensino, que trabalha a postura, concentração, rotina de estudo e disciplina, além dos conteúdos: matemática, português e inglês. Lilian Quaresma abriu a unidade do Jardim Botânico há quatro anos e, mesmo com a pandemia, se diz satisfeita com o resultado. “Nós seguimos com os modos on-line e presencial, que está sendo mais procurado agora e é fundamental para as crianças menores”, diz a diretora do curso que trabalha com a faixa etária de 3 a 80 anos.

– Os adultos descobriram o método para as aulas de inglês e estão gostando, porque acabam tendo um atendimento personalizado. Na verdade, os ensinamentos do Kumon a gente pode aplicar em vários momentos da vida, pois tem a ver com autonomia, disciplina, organização e rotina – completa ela, lembrando que os interessados em conhecer o método podem marcar uma avaliação gratuita.

Débora Mac Lennan aprova totalmente o método e vê o resultado nos filhos Rafael, de 8 anos, e os gêmeos Daniel e Nicole, de cinco. “O mais velho está há quatro anos, e os menores, há apenas um. Eu acho importante incentivar o raciocínio desde pequeno, e o exercício é agregador para o desenvolvimento das crianças”, atesta.

Por falar em inglês, um dos mais tradicionais cursos da cidade tem unidade no Jardim Botânico, na mesma rua do Kumon. No IBEU, o aprendizado começa cedo, a partir dos 3 anos. As aulas são um espaço para experimentar e construir, de forma leve e participativo, colocando o aluno como protagonista e convidando-o a criar, refletir e colocar a mão na massa:

– A cultura maker auxilia no desenvolvimento das habilidades ligadas à inteligência emocional, como criatividade, raciocínio lógico, concentração, sociabilidade e oratória. Com isso, o aluno passa a ter um entendimento amplo do processo e deixa de valorizar somente o resultado – explica Regina Fendt, gerente da filial do IBEU no Jardim Botânico.

Além das turmas Kids para crianças de 3 a 9 anos, o IBEU tem módulos para adolescentes de 10 a 17 anos (Young) e para maiores de 18 anos (Adults). Além disso, o curso oferece ainda o Ibeu@Home, ensino remoto com aulas ao vivo estruturadas especialmente para esse formato. Quem não se matriculou, ainda tem tempo e promoção: quem se inscrever até 31 de março ganha o valor do livro do semestre.

Não é para qualquer um ser vizinho de uma escola que é referência internacional em formação artística. Com oito áreas de interesse e cursos em diversos formatos, a Escola de Artes Visuais do Parque Lage atrai alunos de todo o Rio de Janeiro e teve seu público ampliado com a pandemia, quando surgiram os cursos on-line. Aluna desde 2014, a estilista Alfa Siqueira continuou as aulas mesmo à distância. Moradora de Copacabana, ela começou com o curso de Suzana Queiroga, passou por Charles Watson e Pedro Varela, entre outros.

– Com as aulas on-line, as possibilidades aumentaram. Comecei nesse formato com um curso mais teórico, depois fiz o de colagem, que funcionou muito bem. Mas nada como a troca de experiências do modo presencial – admite.

Ao todo, a EAV oferece cerca de 50 cursos, muitos deles ministrados por professores reconhecidos internacionalmente. É o caso de Anna Bella Geiger, que ministrará a aula inaugural da programação 2022, durante a tradicional Semana de Portas Abertas (leia mais na coluna Folhas). Para Alfa, a ocasião é perfeita para conhecer um pouco mais sobre os cursos: “Pode começar por qualquer um, o negócio é estar lá dentro. Faria todos de novo”, garante.

A grade de 2022 conta com cursos de moradores do Jardim Botânico. Professor da EAV desde 2008, Rogério Emerson ministrará “Iluminação para a arte”. Enquanto o artista visual Xico Chaves estará à frente do laboratório de processos criativos “Objeto-poema / Poética visual e escrita”. Os dois também fazem parte da programação de Portas Abertas.

Para quem coloca a natureza em primeiro lugar, os cursos da Associação de Amigos do Jardim Botânico caem como uma luva. A AAJB está com matrículas abertas para os cursos programados para o início em março: “Paisagismo para Pequenos Espaços”, “Jardins em Vasos”, “Jardinagem” e “Paisagismo”. As turmas têm limite de 15 pessoas

Pelas ruas transversais do Jardim Botânico é fácil encontrar ateliês com aulas de cerâmicas, como o Obra Ateliê, na rua Visconde da Graça; o Casa 10, de Claudio Castilho, na rua Lopes Quintas; e o Ateliê 732, de Alice Felzenszwalb, na mesma rua, responsável pelos serviços de cerâmica de nove entre 10 restaurantes badalados da cidade. Já na Gávea, tem o Cedro da Gávea Ateliê, da artista plástica Elizabeth Rocha, que oferece aulas para todas as idades.

Para mais informações:

Kumon – 4111-2336 ou 98323-0336

IBEU – 2537-7562 ou 98278-0251

Escola de Artes Visuais do Parque Lage

Associação Amigos do Jardim Botânico

Ateliê Casa 10

Ateliê 732

Obra Ateliê

Cedro da Gávea Ateliê

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: